06 02
#11AnosDiRica / Editorial / Looks / Moda

Agatha e Zero | #11AnosDiRica

Por Diana Monteiro

Antes tarde do que nunca, não é mesmo? Depois de um probleminha técnico com o blog, cá estou! O legal da série #11AnosDiRica é que alterno as inspirações e referências com o Rica, e embora tenhamos favoritos, gostamos de todas as produções que estamos fazendo. Não é unilateral, assim como o nosso relacionamento.

Além de acreditar que um dos segredos pra uma relação dar certo é a eterna reconquista, também tenho em mente que se permitir viver a vida do outro (além da sua, óbvio), mesmo que por um breve tempo, é primordial.

O look da semana é simples, porém um dos que mais gosto esteticamente. Amante de tons pastel, referências novelty e elementos retrô, uma produção Wes Anderson tinha que pintar por aqui. A minha paixão pelos seus filmes, em especial o ‘The Grand Budapest Hotel’, não é segredo, tanto que foi um dos editoriais que mais amei produzir pra Valentina Mag. Foram diversos emails trocados com a Luiza Potiens, que sempre mergulhou comigo nas minhas ideias, colaborando da melhor forma possível, sempre superando minhas expectativas.

Mas ainda assim, sinto que sempre farei fotos com referências do filme, por isso, ser a Agatha por um dia ao lado do Rica como o Zero, foi sinônimo de alegria pura. Pra qualquer produção, estudo a cartela de cor, estampas e elementos sutis, que remetam às personalidades dos personagens. Dessa forma fica fácil das pessoas identificarem.

Usei o vestido Audrey, da Carolina Ancasy, que amo. Ele tem um tom azul lavado, que me remete ao universo candy color, muito usado na década de 1960. E embora a história do filme se passe bem antes disso (pelo menos na parte principal), o resultado do mix de décadas que o diretor faz sempre surpreende, a ponto de nos confundir a época, tornando algo, repleto de referências retrô e vintage, atemporal.

Já pro look do Rica, escolhi uma gambuza dele de trabalho (pra quem não sabe, ele é chef de cozinha) e, por mais que seja cinza, achei que ia casar melhor. Eu particularmente detesto a cor roxa (mas gostei no uniforme que o Zero usa no filme) e pra me satisfazer em termos de cores, foquei na cor sóbria, que amo.

Além do trigo no cabelo, fiz a mancha que a Agatha tem no rosto, que me remete a um mapa, talvez até seja, confesso que não tenho certeza se esse detalhe é abordado no filme. O colar de fita de cetim, também azul, segura o pingente com as chaves da sociedade e claro, as tranças tipo arco, que finaliza o look.

Já o chapeuzinho que o Rica usa, foi um achado na liquidação da Zara, uns meses atrás. Comprei ele por apenas R$19 e por amar chapéus, não consegui resistir. Agora é só esperar o frio que não existe aqui do Brasil chegar pra poder usar sem derreter… rs!
Por ele ser azul marinho, corri pra pedir ajuda pra Giovana Joris, que deixou ele cinza, combinando o look monocromático. Depois inseri o ‘Lobby Boy’ e voilá!

Claro que as caixinhas da fictícia e tão desejada patisserie ‘Mendl’s’ não poderiam ficar de fora, né? Tratei de fazer novamente, dessa vez em dois tamanhos e, embora a pequena esteja comigo, garanto que o meu tamanho real é a grande. Comeria tudo, feliz da vida, com um sorrisão de orelha a orelha, como fiz quando fizemos o doce Courtesan au Chocolat, nesse post aqui onde mostramos como fazer.



Deixe seu comentário


Nenhum comentário

@maisondadi no instagram