24 04
Cultura / Música

Lemonade – Beyoncé

Por Diana Monteiro

E, novamente em um sábado, ela zerou a internet! Queen B está de volta! Depois de semanas esperando pelo grande dia, Beyoncé lançou Lemonade em um especial no canal HBO (e logo em seguida no Tidal – em streaming), novo álbum com 12 músicas inéditas. Como fez em dezembro de 2013, o visual álbum veio junto com clipes, formando um filme com conteúdo envolvente e foda (não existe outra palavra pra descrever o quanto ele é bom, simples assim).

Antes de dar play no vídeo abaixo, vamos por partes! Por que Lemonade? Antigamente havia uma superstição em que negros acreditavam que beber limonada deixaria a pele mais clara. E, para um álbum onde o assunto empoderamento é forte (ainda mais depois da importante música e clipe Formation), que outro nome poderia ser? Ironizando a necessidade de se encaixar em um perfil social totalmente errado, Bey também mostra de forma dura como os negros ainda sofrem discriminação. Em um dos clipes podemos ver as mães de Michael Brown e Travyon Martin, jovens mortos por policiais nos Estados Unidos, que ganharam essa homenagem, pra servirem de voz contra a brutalidade ainda existente.

lemonade- visual album - beyonce - maisondadi

E as colaborações? Ninguém menos que The Weeknd, Jack White, James Blake e Kendrick Lamar, feras da indústria musical, que elevam as batidas a níveis estratosféricos. Mas nossa, Di, que exagero!!! Gente, eu realmente estou em êxtase com esse álbum. Pra mim, a Beyoncé é uma artista completa que, além de usar a música para empoderar mulheres negras, fala sobre o feminismo, que ainda é um grande tabú para milhões de pessoas e chama a atenção sobre a desigualdade racial. Com essas qualidades, não consigo achar adjetivos que não sejam exagerados. Mesmo.

Sabe o que é mais legal? É que todas as músicas e clipes mostram os assuntos por uma perspectiva feminina – fato raro em qualquer segmento. E, como está na descrição do Tidal, o álbum pode ser definido como um projeto conceitual baseado na jornada de auto-conhecimento e cura de todas as mulheres. As letras e as imagens são fortes e, sem medo, Bey divide diversas fases da sua vida! Se ouvirmos atentamente as letras, vemos que ela fala sobre amor, traição, medos, ousadia e a necessidade de se expressar, buscando direitos e paz interior. Quando não está falando sobre algo pessoal, chama atenção para os atuais problemas sociais. É inspirador.

Ontem perdi a hora que o canal HBO transmitiu a premiere e fui correndo pro celular ver no Tidal, fiquei sem piscar por quase 1 hora. Mandei o sinal pra TV e fiquei parada, em pé, curtindo cada batida e vendo as poéticas imagens, que a cada clipe melhorava, me deixando quase hipnotizada. Desde então, no repeat! Aperta o play!

Uma grande amiga minha, Iana, disse em uma conversa recente sobre a necessidade de termos a Beyoncé como porta voz: “Eu to muito feliz de estar vendo essa mudança no mundo”. Como não concordar?  Aproveita pra seguir ela no facebook, seus posts sobre feminismo são primordiais para quem deseja enxergar o mundo de forma justa, sem distorções.

Segundo o The Daily TelegraphLemonade é Beyoncé em seu estado mais profano, político e pessoal. Agora fica a pergunta, como não sorrir com um trabalho desse porte, não é mesmo?



Deixe seu comentário


Nenhum comentário

@maisondadi no instagram