15 06
Cultura / Viagem

Rodin, d’Orsay e Champs Élysée | #DiERicaEmParis

Por Diana Monteiro

A ansiedade e excitação era tanta de estar em Paris que demorei um bom tempo pra conseguir dormir. Tanto que não acreditei quando ouvi o despertador tocar. Mesmo muito cansada era impossível ficar de mau humor no segundo dia (oficialmente primeiro) de viagem.

Fiz surpresa pro Rica e na noite anterior pedi um café da manhã. Estava no banheiro me maquiando quando bateram na porta às 8h. A fome era tanta que fui correndo comer. Confesso que minha esoclha não foi uma das melhores, pois não como carne de porco, mas com pãozinho, manteiga produzida no interior da França, geleia, um queijo absurdo de bom, suce de grapefruit e chocolate quente não tem como reclamar, não é mesmo? Lanchamos com calma, ouvimos música e terminamos de organizar o roteiro do dia.

A primeira parada do dia foi o Museu Rodin. Tinha muita vontade de conhecer e, além de ultrapassar minhas expectativas, foi uma ótima decisão começar oficialmente os passeios culturas da viagem por ele. O museu possui uma grande parte ao ar livre e ao chegar lá, você tem duas opções: conhecer tudo ou simplesmente pagar mais barato pra passear nos jardins. Escolhemos o pacote completo e não nos arrependemos.

Infelizmente tive um contratempo: quando fui configurar minha câmera no timer pra fazer uma foto minha e do Rica, sem querer mudei a qualidade das fotos e em vez de deixar raw, não sei porque selecionei jpeg em baixa. Ou seja. A partir de determinada hora no Museu do Rodin só tive fotos em baixa qualidade. Passei o resto do dia fotografando tudo, porém sem perceber a configuração errada, até o dia seguinte… Mas tudo bem, filmamos bastante! \o/ E outra, tenho tudo na memória!

Gostamos tanto do museu que ficamos mais de três horas vendo tudo! O Pensador, a Porta do Inferno, As Três Sombras e todas as artes, obras e esculturas do August Rodin. Incrível!

De lá fomos pro d’Orsay e no caminho vimos a Basilique Ste Clotilde. Depois de curtir um pouquinho a praça em frente à igreja, seguimos pra próxima parada. Com fome e receosa pelo curto horário pra fazer tudo, decidimos comer e fomos ao Le Restaurant, que fica no segundo andar do d’Orsay.

Resolvi apostar num almoço temático e escolhi cogumelos! De entrada, a sopa mais deliciosa que já comi na vida, feita com leites de amêndoas, cogumelos, temperos que não faço ideia quais são… hahaha E de prato principal, um risoto com mix de cogumelos ao vinho tinto, folhas e uns crocantinhos, que também não faço ideia do que eram. Só sei que estava tudo muito gostoso.

Pra mim o Museu d’Orsay é o mais bonito de Paris. Ele é amplo, iluminado, lindo e te faz voltar no tempo pelas instalações vintage, que serviram pra nutrir a cidade no início do século XX, já que ali era uma estação de trem.

De lá pegamos um uber e fomos pro topo da Champs Élysée, lá no Arco do Triunfo. Fizemos a clássica foto, passeamos pela nostálgica rua. Por fim, fomos pra Saint Germain, jantamos um crepe delicioso e voltamos pro hotel descansar.

Pra ver o vlog do nosso segundo dia por lá, é só clicar play, curtir e assinar o canal!

Continua…



Deixe seu comentário


Nenhum comentário

@maisondadi no instagram